Menu
21º min
32º min

21/08/2019 às 16h12

Perita terá que explicar à Justiça divergências em laudo de menino morto em fazenda


Midimax
Foto: Divulgação

Suspeito preso e arma usada no crime.

Perita médico-legista terá que prestar esclarecimentos à justiça por supostas divergências no laudo necroscópico do menino Luiz Otávio Santana de Lima, de apenas 11, assassinado com um tiro em fazenda na zona rural do município de Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande. Ivan Alyffer Albuquerque Rocha, de 23 anos, foi denunciado por homicídio doloso.

 

Possíveis contradições no exame foram apontadas pelo Ministério Público que solicitou ao juiz do caso que os dados fossem corrigidos, a fim de evitar compreensão equivocada dos fatos. Conforme relatado, foi constatada ferida de 0,5 centímetro de diâmetro que caracteriza entrada de projétil de arma de fogo, localizada na região esquerda das cotas. No esquema tal ferimento é denominado “P1”.

 

 Conforme o  MPMS, fotografia comprova que o orifício de entrada do projétil se deu do lado esquerdo. “No entanto, o Esquema das Lesões aponta como orifício de entrada o lado direito. Outrossim, foi utilizado o termo P2 para o orifício de saída da P1. Tal denominação deve ser revista, pois pode levar à conclusão equivocada de que houve um segundo projétil”, afirma o MPMS no pedido.