Menu
21º min
32º min

10/10/2019 às 14h05

Moro prorroga permanência da Força Nacional em Caarapó até dezembro

Agentes de segurança pública seguem no município para prevenir contra conflitos por terra


Campo Grande News
Foto: Hélio de Freitas

Área de conflito entre indígenas e fazendeiros em Caarapó

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, prorrogou por mais 90 dias a permanência da Força Nacional em Caarapó, distante 283 quilômetros de Campo Grande. Conforme portaria, publicada na edição desta quinta-feira (10) do DOU (Diário Oficial da União), os agentes permanecem no município próximo à fronteira do Brasil com o Paraguai até o dia 28 de dezembro.

 

A Força Nacional poderá agir nas ações de policiamento ostensivo, com patrulhamento motorizado, em apoio aos órgãos de segurança pública sul-mato-grossenses. O reforço pretende prevenir contra conflitos agrários por questões fundiárias em Caarapó, além de coibir o tráfico de drogas, armas e munições e o contrabando na faixa de fronteira, em caráter episódico e planejado.

 

O efetivo disponibilizado deve obedecer a planejamento definido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. A operação terá apoio logístico da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), responsável pelo suporte e infraestrutura necessária à Força Nacional.

 

O esquema de segurança reforçado em Caarapó foi considerado necessário a partir de 2016, após divulgação de estudo de identificação e delimitação assinado pela então presidente Dilma Rousseff.

 

Em junho daquele ano, indígenas da aldeia Tey Kuê decidiram entrar na Fazenda Yvu. Logo depois, em investida de cerca de 200 produtores rurais, funcionários das propriedades e seguranças, seis índios ficaram feridos e um morreu – o agente de saúde indígena Clodiode Aquileu Rodrigues de Souza, de 26 anos.