Menu
21º min
32º min

19/02/2020 às 15h45

Casos de dengue em Dourados dobram em uma semana


Wender Carbonari - Dourados News
Foto: Divulgação

Os números referentes aos casos confirmados de dengue em Dourados e em Mato Grosso do Sul deram um salto nos últimos sete dias, de acordo com o Boletem Epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (19), pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). 

 

Na segunda maior cidade do Estado, a quantidade de pessoas diagnosticadas com dengue saiu de 49 até o dia 12/02/2020, para 107 casos positivos até esta quarta-feira (19), no caso de Dourados, todos confirmados através de critério laboratorial. 

 

Outro dado que chama a atenção com relação as diferenças apresentadas em comparação com o boletim anterior é o aumento da incidência de suspeitos de terem contraído a doença, passando de 213 para 365 casos em apenas uma semana, atingindo nível de incidência considerada “média”. 

 

Apesar do aumento de mais de 50% na quantidade de confirmações na última semana, Dourados não registrou óbitos em 2020 e ocupa a 58º posição no ranking estadual de incidência de casos suspeitos de dengue.  

MATO GROSSO DO SUL

Em relação ao Estado, a situação apresentada pelo Boletim Epidemiológico pode ser considerada ainda mais preocupante. 

 

Nos últimos sete dias 1.502 novos casos foram confirmados em Mato Grosso do Sul e 55 dos 79 municípios estão em situação de alta incidência.

 

Com relação a quantidade de óbitos no Estado chegou a 12 após a última morte registrada no dia 15 de fevereiro em Bodoquena.

COMBATE

O Boletim Epidemiológico chama a atenção da população no combate a esta doença que há muitos anos tem preocupado as autoridades e as instituições públicas de saúde.

 

“A principal ação que a população tem é se informar, conscientizar e evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular, em qualquer poca do ano.

 

Além do Aedes Aegypti transmitir a dengue hoje o mosquito tornou-se um dos maiores inimigos da saúde pública por transmitir também o vírus Zika e a Febre do Chikungunya, e as ações de controle do vetor são imprescindíveis”, destaca a Secretaria de Estado de Saúde por meio do boletim semanal.