Menu
21º min
32º min

27/02/2020 às 15h13

Dengue faz nova vítima em Campo Grande e mortes chegam a 13 em MS

Casos registrados chegam a 6.559 e notificações ultrapassam os 20 mil


Midiamax
Foto: Ilustrativa

O número de mortes por dengue em Campo Grande subiu para 4 após um homem, de 52 anos falecer no dia 9 de fevereiro.

 

Consequentemente, os óbitos em Mato Grosso do Sul registram um total de 13 após a atualização do boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) nesta quinta-feira (27).

 

Os casos confirmados também saltaram após a atualização do boletim. Na última semana, o número registrado era de 4.331 e agora, saltaram para 6.559. As notificações também sofreram grande alteração subindo de 16.256 para 20.444.

 

Campo Grande ainda segue sendo a cidade com mais casos confirmados com um total de 2.184, seguido por Três Lagoas (830), Brasilândia (270), Chapadão do Sul (264) e Sonora (219).

 

Mortes por dengue

A última morte registrada pelo boletim foi a morte de uma mulher, de 28 anos e moradora da cidade de Bodoquena, distante a distante a 260 quilômetros de Campo Grande. Ela não possuía nenhuma coimorbidades.

 

O menino Eduardo Borgues Ortega, de 9 anos de Campo Grande morreu no dia 9 de fevereiro. Eduardo chegou à Santa Casa sedado, entubado e em parada cardíaca. Como se tratava de um caso provável de dengue, foi feita coleta de sangue, cujo resultado deu reagente para dengue.

 

O garoto teve, na sequência, mais uma parada cardiorrespiratória, cujo protocolo de reversão não teve sucesso. A outra vítima foi a Professora Dúnia Sáfa, de 24 anos em Corumbá,  a 444 km da Capital.

 

A primeira morte pela doença foi registrada em Corumbá, um jovem de 29 anos que faleceu no dia 9 de janeiro. As outras mortes sequenciais foram de um homem de 30 anos-que veio a óbito no 12 de Janeiro em Campo Grande e de um adolescente de 17 anos, residente em Sete Quedas, que faleceu em 10 de janeiro.

 

A quarta vítima confirmada foi uma mulher de 67 anos, residente de Cassilândia, com óbito no dia 15 de janeiro por dengue hemorrágica. Na sequência, houve registro dos óbitos de Célia Alves, de 52 anos moradora de Nova Andradina, que morreu pela doença dia 28; e de um idoso de 85 anos, que morreu no dia 22. Ele possuía diabetes e hipertensão como comorbidades.