Menu
21º min
32º min

25/03/2020 às 14h55

Saúde reavalia até respiradores mecânicos descartados para situação de emergência


Dourados News
Foto: Divulgação

O médico Renato Cesar Nasser, secretário-adjunto de Saúde de Dourados, informou que até mesmo respiradores mecânicos que já haviam sido descartados no sistema de baixa do município são reavaliados para utilização em eventual emergência por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

 

Em entrevista veiculada nas redes sociais da prefeitura na tarde de terça-feira (24), ele preferiu não informar de quantos equipamentos as unidades hospitalares das redes pública e privada dispõem no momento.

 

“Dados técnicos não há necessidade de disponibilizar a público. O número que nós tivermos é pouco. Posso ter 100 unidades de respiradores e vai ser pouco. Por isso, todo trabalho de prevenção”.

 

Na edição de ontem do Diário Oficial do Município, a secretária municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado Souza, publicou solicitação a todos os hospitais e clínicas veterinárias de Dourados “informações quanto à existência, e o modelo, de respirador mecânico em vossos estabelecimentos para que possam ser utilizados pela municipalidade durante o enfrentamento da pandemia do coronavírus (COVID 19)”.

 

Segundo o secretário-adjunto, respiradores mecânicos de hospitais veterinários são compatíveis com a utilização por humanos, desde que feitas adequações.

 

“Na crise vamos precisar sim, infelizmente sim. Hoje temos condição de comprar o equipamento, mas o equipamento não existe. Houve fábricas que tiveram toda sua produção confiscada.

 

Alguns hospitais compraram esses equipamentos, mas a empresa não pode entregar porque foi confiscado. Isso é uma situação séria. Precisamos cuidar. Por isso tudo que fazemos é preventivo”, detalhou.

 

Nasser alertou ainda que a população tem que entender a gravidade do Covid-19. “Nós não temos condição de atender todo mundo que ficar com ele e necessite de ventilação mecânica”, reconheceu, acrescentando que é cogitado o uso de um mesmo equipamento para até quatro pacientes caso haja necessidade. “Isso é situação de emergência, situação crítica”, destacou.

 

“A Secretaria Municipal de Saúde tinha respiradores no sistema de baixa, respiradores que não tinham conserto. Estamos reavaliando esses respiradores, montando novos respiradores com as peças desses que foram dados baixa, para que na emergência a gente possa utilizar adequadamente.

 

Todo nosso trabalho é preventivo. A Secretaria Municipal de Saúde e a prefeitura têm se empenhado para que retardemos ao máximo possível a chegada desse vírus na nossa comunidade, porque na hora que chegar, não vai ter como segurar”, frisou.

SUPORTE RESPIRATÓRIO

No início deste mês, o Centro de Operações de Emergências criado pelo Governo de Mato Grosso do Sul emitiu a Nota de Instrução Normativa nº 01/2020, com recomendações contra o novo coronavírus (Covid-19).

 

Nesse documento, citou que “aproximadamente 80 a 85% dos casos são leves e não necessitam hospitalização com sintomas respiratórios semelhantes ao de uma gripe, devendo permanecer em isolamento respiratório domiciliar, 15% necessitam internação hospitalar fora da unidade de terapia intensiva (UTI) e que menos de 5% precisam de suporte respiratório”.