Menu
21º min
32º min

15/01/2019 às 15h38

Mulher mata cobra a 'tamancadas' após ser picada pelo animal

Apesar da reação da mulher, não demorou para o veneno começar a fazer efeito


G1/SP
Foto: DORALICE FERREIRA DO ROSÁRIO/ARQUIVO PESSOAL

Uma mulher foi internada em estado grave em Santos, no litoral de São Paulo, após ser picada por uma cobra enquanto voltava para casa na noite do último sábado (12). Após ser picada pela cobra, da espécie 'jararacuçu', a mulher resolveu atacar o animal, que acabou sendo morto com golpes de um dos tamancos que utilizava.

 

Apesar da reação da mulher, não demorou para o veneno começar a fazer efeito. A vítima começou a passar mal e, em um primeiro momento, foi atendida na Unidade de Pronto-Socorro Central de Cubatão. Familiares de Marisa do Rosário, de 42 anos, foram às redes sociais protestar contra a demora no atendimento à vítima.

 

De acordo com a irmã de Marisa, Doralice Ferreira da Silva, a vítima foi encaminhada à UPS Central de Cubatão por volta das 21h30, onde recebeu os primeiros atendimentos médicos. No entanto, apesar do estado preocupante, ela só pode ser encaminhada ao hospital Guilherme Álvaro, em Santos, às 2h30 de domingo (13).

 

Doralice afirma que foi aconselhada por profissionais da unidade a procurar as autoridades caso quisesse agilizar a transferência da irmã: "me disseram que se eu conhecesse algum vereador ou o prefeito, talvez eles conseguissem acelerar o processo. É revoltante saber que a vida da minha irmã dependia de algum político ou de alguém no poder", reclama.

 

O acidente ocorreu no bairro Vila Natal, em um terreno próximo à passarela de pedestres que dá acesso à Rua João Carlos Silva Bueno. Marisa estava acompanhada de uma sobrinha, de 14 anos, que entrou em contato com familiares para levar a tia ao pronto-socorro após ter sido atacada pela cobra.

 

Segundo Doralice, a cobra foi morta pela irmã, que tentou se defender do ataque utilizando o tamanco. O animal foi levado para identificação nas unidades de saúde de Cubatão e Santos. O estado de saúde da vítima é considerado grave.

 




PRIMEIRA PÁGINA