Menu
21º min
32º min

24/02/2020 às 16h43

Anomalia de bebê que nasceu sem ânus só foi possível detectar após 24h, diz Maternidade

A maternidade relatou que a transferência para o HRMS já está sendo providenciada


Midiamax
Foto: Divulgação

Imagens do bebê internado nesta segunda-feira na Maternidade.

A Maternidade Cândido Mariano afirmou que o bebê que nasceu sem o anûs neste domingo (23). portador de uma malformação congênita e que anomalia só pode ser descoberta após 24 horas.

 

Conforme a nota encaminhada pelo hospital ao Jornal Midiamax, o bebê foi examinado pelo pediatra assim que nasceu, no entanto, a anomalia, dependendo da sua tipagem, só é possível ser diagnosticada entre 24 e 48 horas.

 

“Dependendo do tipo de malformação, o diagnóstico só é possível de 24 horas à 48 horas após o nascimento, quando o recém-nascido apresenta sintomas como vômitos e distensão abdominal. Foi o que aconteceu com o bebê”, diz maternidade em nota.

 

Ainda de acordo com o hospital, assim que o diagnóstico foi feito, o bebê já foi regulado para o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) para que a cirurgia fosse realizada.

 

“A equipe de médicos e enfermeiras da Maternidade Cândido Mariano prestou todas as informações necessárias à família do recém-nascido e, neste momento, está providenciando o transporte do bebê”, finaliza em nota.

Bebê nasce sem o ânus

Os familiares afirmam que havia pediatra na sala de parto quando o menino nasceu, por volta das 6h do domingo.

 

No entanto, nada foi repassado aos familiares. “O bebê até tomou banho no mesmo dia, às 14h. O pediatra olhou novamente e disse que ele estava normal para a mãe”, conta uma parente.

 

A jovem, que tem 17 anos, teve o bebê de parto normal e foi acompanhada pela avó no nascimento da criança. Nesta segunda-feira, o bebê foi internado na sala de parto e sem visitas.

 

“Só hoje, um dia depois, que nos falaram isso, que ele não tem ânus. O alimento dele está voltando pela boca e ele precisa de uma vaga urgente em hospital para operar.

 

Nenhum médico, nenhum pediatra, apareceu para explicar. E outra coisa: como pode passar por avaliação do médico e só verem isso 24 horas depois?”, questiona um dos familiares.