Ministro Sérgio Moro vai visitar MS e pauta será sobre segurança de fronteira

Ministro poderá participar de inauguração de presídio em Campo Grande

CORREIO DO ESTADO


O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro aceitou convite da senadora Simone Tebet (MDB) para visitar o Estado de Mato Grosso do Sul.

 

A agenda externa do ministro está confirmada para o dia 24 de abril. A pauta será sobre os conflitos de fronteira.

 

Porém, de acordo com o secretário Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Antônio Carlos Videira, o local da visita ainda não foi definido. “Eles devem anunciar perto do dia.

 

Temos o complexo do presídio da Gameleira (em Campo Grande) que está previsto para ser inaugurado em abril, mas vamos aguardar”, declarou Videira.  

De acordo com a senadora, Moro já se colocou a disposição das autoridades paraguaias para articularem ações em conjunto com o objetivo de combater a criminalidade que acontece nos dois países vizinhos.

 

No dia 14 de fevereiro, a senadora esteve em Campo Grande na entrega da reforma da escola Estadual Lino Vilachá, no Bairro Nova Lima e na ocasião, Simone disse que conversou com o ministro naquela mesma semana e que no dia seguinte (13/02) ele mandou mensagem respondendo que aceitava o convite da senadora.

 

No mesmo mês do ano passado estava previsto para o ministro visitar a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, vizinha de Ponta Porã (MS), porém, devido ao mal tempo, o avião em que Moro estava teve que pousar em Dourados, onde foi recebido por autoridades da Polícia Federal (PF) no estado e seguiu de carro até Pedro Juan, uma distância de 120km. O ministro foi recebido por um general paraguaio, com quem reuniu-se na sede da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do país vizinho.

 

O secretário Videira declarou que a vinda do ministro “mostra a preocupação do Governo Federal com a fronteira”. Videira também adiantou os pedidos que pretende fazer a Moro.

 

Dentre os vários pedidos, o secretário disse que o primeiro será reinvindicar os investimentos na segurança pública de fronteira, pois o Estado é um dos maiores do mundo, percaptamente, com a maior população carcerária. Os efetivos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) também será tema de pauta do secretário.

 

“Além de investimentos com equipamentos nas forças federais e uma atenção maior com o convênio que temos com a Polícia Civil (PC), bem como os vários projetos que temos habilitados no portal de convêncios do Ministério da Justiça”, adiantou Videira.

 

Um dos projetos encaminhados pela Sejusp para o Governo Federal diz respeito a investimentos na área de perícia. “Não adianta apreender a droga se não tiver o laudo pericial, precisa ser expedido no tempo certo para não dificultar a denúncia e o trabalho do juiz”.

 

O secretário disse que é necesssária a construção de mais laboratórios periciais e que o valor desse projeto é de, aproximadamente, R$ 5 milhões.

FUGA DE PRESOS

Além da preocupação das autoridades com a criminalidade na fronteira, motivada, muitas vezes, por conflitos entre facções criminosas que atuam nos dois países, no início deste ano, aproximadamente, 75 presos fugiram de um presídio paraguaio. De acordo com o secretário Videira, esse episódio aumentou mais ainda o sinal de alerta em relação as ações que precisam ocorrer na região de fronteira.  

 

Na ocasião, em sua página do Twiter, Moro declarou que as forças nacionais estavam trabalhando em conjunto com as estaduais, “para impedir a reentrada no Brasil dos criminosos que fugiram de prisão do Paraguai.

 

Se voltarem para o Brasil, ganham passagem só de ida para presídio federal”, tuitou o ministro.

De acordo com o secretário, 14 dos 75 presos já foram pegos, apenas um em território brasileiro.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE