Advogadas de MS são impedidas de palestrar na ONU Mulheres por surto de coronavírus

Evento seria realizado na manhã desta segunda-feira, em Nova Iorque

TOP MíDIA NEWS


A reunião sobre ações de igualdade, nesta segunda-feira (9), em Nova Iorque, na ONU Mulher, departamento das Organizações das Nações Unidas, foi cancelada, após o surto de coronavírus. Devido a isso, advogadas de Mato Grosso do Sul, que iriam participar, foram impedidas.

 

A advogada e presidente da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ/MS), Rachel Magrini, a Subsecretária de Políticas Públicas para a Mulher em Campo Grande, Carla Stephanini e a advogada previdenciária Penélope Caixeta Del Pino, participariam do encontro. Rachel e Penélope também participaram do encontro do ano passado. 

 

Penélope iria falar sobre a Casa Mulher da Brasileira e a Lei Maria da Penha, com enfoque no auxílio doença para vítimas de violência.

 

No ano passado, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ), estendeu a lei para qualquer tipo de violência. Após o afastamento, os primeiros 15 dias são pagos pela empresa e o resto arcado pelo INSS, segundo a 6ª turma do STJ.

 

Em 2017, a Islândia ficou em 1º lugar no ranking de países que mais conseguiram aplicar políticas públicas para avançar na desigualdade de gêneros. O Brasil caiu para a 90ª colocação no ranking, em um universo de 144 países.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE