Condenado por estupro coletivo de menina de 13 anos em MS tenta prisão domiciliar

MIDIAMAX


ILUSTRATIVA

A defesa de um homem de 36 anos, morador em Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande, tentou progressão da pena e prisão domiciliar. Ele foi condenado em dezembro de 2016 por participar de um estupro coletivo 8 anos antes, tendo como vítima uma menina de 13 anos.

 

A princípio, o acusado foi condenado a 11 anos em regime fechado, por estupro de vulnerável e também lesão corporal dolosa. Assim, os juízes da 2ª Câmara Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) negaram o pedido de prisão domiciliar. Com isso, o réu não deve ter a progressão da pena antecipada e continua em regime fechado.

 

O réu foi preso por participar de estupro coletivo em novembro de 2008, tendo uma menina de 13 anos como vítima. Naquele dia, todos estavam em uma casa, onde acontecia uma festa, quando um adolescente chamou a menina para conversar. A vítima saiu com o jovem, que então deu um soco no rosto dela, até que ela caiu no chão.

 

A partir daí, os outros três suspeitos chegaram e arrancaram as roupas da vítima. Neste momento, ela passou a ser segurada por três homens, enquanto o quarto cometia o estupro. Ainda conforme a denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), os quatro acusados cometeram o ato.

 

Também durante o crime a menina chegou a desmaiar. Ela ficou bastante machucada após o ocorrido e os envolvidos no caso foram denunciados e condenados a pelo menos 10 anos de prisão.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE