Armado com barra de ferro, ex pula muro e persegue jovem dentro de casa

MIDIAMAX


ILUSTRATIVA

Um homem de 35 anos acabou preso na manhã desta segunda-feira (28) depois de invadir a casa de sua ex-mulher de 24 anos, no Jardim Aeroporto, em Campo Grande. Ele estava armado com uma barra de ferro e uma faca.

 

A mulher acionou a polícia por volta das 5h40 da manhã desta segunda (28) depois que o ex-marido armado com uma barra de ferro invadiu a residência quebrando a janela depois de pular o muro. Ele perseguiu a vítima dentro de casa dizendo que iria matá-la. Ele quebrou uma janela, uma porta e uma televisão causando um prejuízo de R$ 3 mil.

 

Ela disse que já havia registrado quatro boletins de ocorrência contra o autor, no mês de agosto por ameaça, injúria e lesão corporal dolosa. Agora, ela pediu por medidas protetivas de urgência. O homem quando foi preso disse que perdeu a cabeça quando foi até a casa da vítima para pegar um recibo de uma motocicleta e viu um homem na casa. Ele foi levado para a delegacia

 

Como pedir ajuda

 

Em Campo Grande, a Casa da Mulher Brasileira está localizada na Rua Brasília, s/n, no Jardim Imá, 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana, para que as mulheres vítimas de violência não fiquem sozinhas, mesmo em tempos de pandemia.

 

Funcionam na Casa da Mulher Brasileira uma Delegacia Especializada; a Defensoria Pública; o Ministério Público; a Vara Judicial de Medidas Protetivas; atendimento social e psicológico; alojamento; espaço de cuidado das crianças – brinquedoteca; Patrulha Maria da Penha e Guarda Municipal. É possível ligar para 153.

 

Existem ainda dois números para contato: 180, que garante o anonimato de quem liga, e o 190. Importante lembrar que a Central de Atendimento à Mulher – 180 -, é um canal de atendimento telefônico, com foco no acolhimento, na orientação e no encaminhamento para os diversos serviços da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres em todo o Brasil, mas não serve para emergências.

 

As ligações para o número 180 podem ser feitas por telefone móvel ou fixo, particular ou público. O serviço funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os finais de semana e feriados, já que a violência contra a mulher no Brasil é um problema sério no país.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE