Arma israelense de traficante preso que levou 19 tiros foi negociada dentro do IPCG

Arma foi comprada pelo traficante a 9 meses de um detento conhecido como ‘Gordinho’

MIDIAMAX


(Henrique Arakaki, Midiamax)

A arma israelense, usada pela polícia de Israel, apreendida durante a prisão de Vitor Manoel Souza de Amaral de 21 anos teria sido negociada dentro das dependências do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande), com um detento conhecido como ‘Gordinho’. Vitor foi preso na manhã de quarta-feira (12) depois de ficar vários meses foragido quando cumpria pena na Gameleira.

Em depoimento, ele disse que havia comprado a arma a aproximadamente 9 meses sendo a pistola negociada com ‘Gordinho’ e entregue a ele por um terceiro, que não revelou quem seria, já que ‘Gordinho’ estava preso. A aquisição da arma israelense teria sido para se defender desde que sofreu um atentado onde foi ferido com 19 tiros.

Já o carregador com munições calibre .380 ele teria ganhado de um conhecido que o achou no lixão de Campo Grande. Vitor não disse quanto pagou pela pistola israelense e nem como ‘Gordinho’ a adquiriu. Um outro revólver que ele tinha já havia sido vendido.

Vitor estava foragido e na manhã de quarta (12), os policiais cumpriram o mandado contra ele. Durante o cumprimento do manado foram apreendidas além da arma israelense, dois carregadores com munições de 9mm e .380, e outras mais 53 munições de diversos calibres.

Também foram apreendidos na casa, 22 porções de maconha, dinheiro do tráfico e um caderno com anotações da venda de drogas. Aos policiais, o traficante disse que a arma foi adquirida por ele já que sofria ameaças de morte, mas não revelou de quem comprou ou quanto pagou pela pistola importada.

Ele cumpria pena na Gameleira pelo crime de roubo majorado pelo uso de arma de fogo, sendo que a pistola israelense será periciada para saber se foi usada em algum crime na Capital.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE