MS e outros seis estados aprovam assinatura de contrato para compra da vacina Sputnik V

Se Anvisa autorizar, Estado pode comprar 2 milhões de doses

MIDIAMAX


Foto: Divulgação/SES

Mato Grosso do Sul e outros seis estados que integram o Consórcio Brasil Central aprovaram a assinatura do contrato com o RDIF (Fundo Russo de Investimento Direto) para a importação de 28 milhões de doses da vacina Sputnik V. Caso a importação seja aprovada, MS poderá receber 2 milhões de doses.

No fim do mês passado, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) negou a importação da vacina russa utilizada contra o coronavírus. Nesta semana, o diretor-presidente da agência, Antonio Barra Torres, explicou que o pedido de autorização da vacina está parado, aguardando informações da União Química. 

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirma que o Estado precisa ampliar a vacinação para combater a pandemia. “Essa compra é muito importante porque avança, assim que chegar essas doses, a quantidade de pessoas imunizadas em Mato Grosso do Sul e em todos os estados que fazem parte do Brasil Central', explicou o governador Reinaldo Azambuja

Mato Grosso do Sul pretende 2 milhões de doses da vacina com a capacidade de imunizar 1 milhão de pessoas. O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destacou que o objetivo é garantir a imunização da população de Mato Grosso do Sul. “Nossa intenção é dar solução definitiva no combate ao coronavírus em MS e garantir os direitos da nossa população e a retomada da economia', completou.

Com a autorização do consórcio, a assinatura do contrato com o Fundo Soberano Russo para a compra das vacinas tem previsão de ser assinado na próxima semana. O repasse de recursos só será efetuado se a Anvisa autorizar o uso no país ou se o STF (Supremo Tribunal Federal) divulgar decisão autorizando a aquisição pelos Estados.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE