João Baird é investigado pelo Ministério Público por dano ambiental em MS

Três fazendas estariam causando danos a córrego

MIDIAMAX


 

A Promotoria de Justiça de Ribas do Rio Pardo, cidade distante 97 quilômetros de Campo Grande, investiga possível dano ambiental causado por três fazendas, que seriam de propriedade de João Roberto Baird, réu da Operação Lama Asfáltica e empresário que manteve milhões em contratos de informática com o governo do Estado. A instauração do inquérito foi divulgada no Diário Oficial do MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) desta quarta-feira (29).

 

O promotor George Zarour Cezar investiga em um procedimento preparatório possíveis danos ambientais ocorridos em prejuízo aos cursos hídricos do Córrego Ribeirão Mantena e seus afluentes.

 

As fazendas Aurora/Santa Rita, Rainha da Paz e Alto Mantena, além de outras propriedades da região, estariam causando os danos ao Córrego.

 

Lama Asfáltica

 

Baird é um dos réus da Operação Lama Asfáltica, acusado pelo MPF (Ministério Público Federal) por evasão de divisas. Na última denúncia, o órgão aponta que ele tinha R$ 6,5 milhões não declarados no Paraguai.

 

O empresário é investigado na 5ª fase da operação, a Computadores de Lama, e foi preso em 27 de novembro de 2018, durante apuração de uso de “laranjas” para a realização de remessas de recursos para o exterior. Em 12 de dezembro, foi colocado em liberdade com medidas cautelares.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE